Como garantir uma eficiência elevada contínua em aplicações de captação de água

Conheça os motivos mais comuns para a perda de eficiência e saiba como compensar essa perda.

O desempenho de uma bomba em aplicações de águas subterrâneas altera-se inevitavelmente ao longo do tempo.

Esta tarefa irá apresentar-lhe os motivos mais comuns para a perda de eficiência e fornecer-lhe conhecimentos sobre o que é possível fazer para contrariar essa diminuição da eficiência.

A única forma efetiva de saber o estado da sua bomba é monitorizá-la. A monitorização pode ser uma inspeção manual ocasional ou em datas previamente agendadas.

No entanto, a forma mais eficaz de monitorização é a monitorização online remota, que permite configurar avisos e alarmes. Desta forma, é possível tomar medidas imediatas caso os dados apresentem uma tendência errada ou se algo requerer uma solução imediata.

Os motivos mais comuns para que uma bomba perca eficiência são:

  • Alterações na necessidade de água
  • Alterações no nível estático da água
  • Perdas por atrito no sistema

Ou se a bomba estiver gasta. Vamos analisá-los um a um para saber como lidar com estes problemas. A necessidade de água pode modificar-se se forem adicionados mais consumidores ou se consumidores existentes foram retirados.

As alterações significam que a bomba deixará de estar a funcionar no seu ponto de melhor eficiência, por exemplo, porque passa a ser necessário um caudal superior e, consequentemente, a pressão diminui.

Uma solução será fazer a substituição da bomba por uma bomba dimensionada para os requisitos adequados. Isto poupa dinheiro nas contas energéticas e dá-lhe um melhor desempenho da bomba.

Outra solução será instalar uma unidade de frequência variável, que adapta automaticamente o desempenho da bomba à necessidade, através da regulação da velocidade, garantindo que a bomba funciona sempre no seu ponto de melhor eficiência.

Se a necessidade de água aumentar, também é possível considerar projetar um poço adicional. Passamos agora ao nível estático da água. Se o nível estático da água baixar, muda a necessidade de alterações de pressão.

A bomba tem de elevar a água mais alto para compensar a redução do nível estático porque isso reduz a pressão. Se o nível estático da água continuar a descer, a bomba não satisfaz as necessidades de pressão e tem de ser substituída.

Por vezes, uma unidade de frequência variável pode ser uma solução alternativa, uma vez que permite à bomba funcionar a uma velocidade ligeiramente superior.

Mas tenha em atenção que uma velocidade superior irá aumentar a carga do motor, por isso certifique-se de que há reserva de potência suficientes no motor para que este funcione à velocidade necessária.

A eficiência da bomba também pode baixar devido às perdas por atrito nas tubagens, com a acumulação de incrustações no seu interior ao longo do tempo. As incrustações são impossíveis de evitar e, em situações muito más, poderá ser necessário limpar ou substituir as tubagens.

No entanto, existe outra solução mais duradoura se o desafio for tido em conta logo no início da conceção do poço. Ao utilizar tubagens flexíveis em vez de tubagens tradicionais, as incrustações irão soltar-se do interior da tubagem flexível sempre que a bomba arrancar, uma vez que a tubagem expande ligeiramente ao ser pressurizada.

Por último, temos a questão do desgaste. As bombas funcionam durante muitos anos sem quaisquer problemas se a água for limpa e não contiver areia e outras partículas abrasivas.

No entanto, se um poço continuar a produzir areia, a bomba irá desgastar-se num período mais curto do que o normal. É impossível prever a rapidez do desgaste, mas a bomba acabará por se autodestruir. Por vezes, estes problemas podem ser minimizados reduzindo o caudal, mas na maioria dos casos isso não será suficiente.

Uma solução poderá ser instalar um dispositivo que separa a areia da água antes de entrar na bomba. Como alternativa, restam um processo de recuperação do poço ou um poço novo. Portanto, monitorizar as bombas e os poços é uma boa ideia.

Permite-lhe detetar e agir quando há alterações de caudal e pressão, um aumento do consumo de energia ou outro desvio da curva de desempenho definida e manter uma eficiência elevada na sua aplicação de captação de água.

Visão geral do curso

Módulos
Módulos: 5
Tempo de duração
Tempo de duração: 25 minutos
Nível de dificuldade
Nível de dificuldade: Intermédio

Como garantir uma eficiência elevada contínua em aplicações de captação de água

Conheça os motivos mais comuns para a perda de eficiência e saiba como compensar essa perda.

Visão geral do curso

Módulos
Módulos: 5
Tempo de duração
Tempo de duração: 25 minutos
Nível de dificuldade
Nível de dificuldade: Intermédio