Como a água influencia o nosso clima

Como a água influencia o nosso clima

A água tem propriedades chave que a tornam única, com grandes implicações para o clima e a evolução da própria vida. Ouça o Professor Søren Rud Keiding falar sobre porque a água é importante para o sistema climático e para manter o nosso mundo habitável.

A água está fortemente associada ao nosso sistema climático.

A atmosfera funciona quase como uma bomba de calor ou um ar condicionado, mas o líquido de refrigeração é diferente. Na atmosfera, o líquido de refrigeração é a água. Então as mudanças da água do estado líquido para o estado gasoso e novamente líquido são o que impulsiona todo o sistema climático. Então, uma das coisas que motiva a Grundfos e cientistas de todo o mundo é cumprir os Objetivos de Desenvolvimento das Nações Unidas, principalmente o objetivo número e o objetivo número 13.

O objetivo número 6 é relativo à água potável e saneamento e o número 13 aborda os desafios das alterações climáticas. Toda a energia na Terra tem origem no sol e, na atmosfera, usamos água para redistribuir a energia. Então, aquilo que chamamos de clima é, na verdade, impulsionado pela água. Quando aquecemos água na atmosfera, a água transforma-se num gás. Então é necessária energia para mudar água do estado líquido para o gasoso. Se fizermos o contrário, se condensarmos a água, estamos a pegar no vapor de água e a condensá-lo num líquido, então a energia é libertada. Ou seja, quando há tempestades e ventos fortes, basicamente isso é causado por moléculas de água que passam do estado gasoso para o estado líquido. E isto combinado com a rotação da Terra.

A capacidade térmica da água é muito, muito alta. A capacidade térmica diz-nos o quão eficiente a água é a acumular energia. Se quisermos, por exemplo, aquecer água, é necessária muita energia porque a água armazena muita energia. Alguns podem conhecer a diferença entre clima costeiro e clima interior. Esta diferença é basicamente impulsionada pela capacidade térmica da água. Num clima costeiro há muita água e é necessária muita energia para aquecer a água.

Por isso, a temperatura vai manter-se mais ou menos constante. Se formos para o interior, onde obviamente há menos água, as flutuações de temperatura serão muito, muito maiores. Se a água tiver sal será mais pesada, ou seja, tem uma maior densidade em comparação com a água sem sal. E o fascinante é que, quando a água salgada congela e forma gelo, o sal é expelido dos cubos de gelo. Então, à medida que o gelo se forma, a água sob o gelo torna-se mais densa e vai afundar. Este movimento da água salgada é o que impulsiona a corrente do Golfo. Assim, todo o sistema climático condicionado pela corrente do Golfo é, na verdade, impulsionado pelo facto de a água salgada ter uma maior densidade do que a água doce.

Todo a gente já se apercebeu que o gelo flutua na água. Para nós, isto é normal: mas, entre os 100 milhões de moléculas que conhecemos atualmente, a água é a única molécula onde isto acontece. A única onde o estado sólido da molécula, o gelo, flutua sobre o estado líquido da molécula, a água. Esta é uma propriedade chave da água e é muito importante para a evolução da vida. A água líquida atinge a sua densidade máxima a quatro graus.

Então, a água líquida apresenta a sua maior densidade a quatro graus Celsius. A água líquida a quatro graus vai afundar. Então, num pequeno lago de água, a água no fundo estará a quatro graus. E, à medida que subimos, a água torna-se cada vez mais fria. Por isso, a água congela a partir de cima. Todos os outros líquidos congelam a partir do fundo. E, congelar a partir de cima significa que a água consegue proteger qualquer espécie biológica que exista no lago de água, porque o gelo atua como uma camada isolante. Então, esta propriedade incomum, a água ter uma densidade máxima a quatro graus, é, na verdade, essencial para a evolução da vida.