DIMENSIONAMENTO DE BOMBAS EM APLICAÇÕES DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS

DIMENSIONAMENTO DE BOMBAS EM APLICAÇÕES DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS

Aprenda a dimensionar bombas submersíveis para obter um desempenho ideal em poços e prolongar a vida útil. 

Nesta tarefa, irá aprender a dimensionar bombas submersíveis, de modo a alcançar um desempenho ideal em poços. Também iremos abordar brevemente outros desafios que têm de ser considerados para aumentar a eficiência da instalação e garantir uma vida útil longa e sem problemas.

A primeira coisa a estabelecer ao dimensionar uma bomba é a capacidade. O especificador calculou o pico de consumo de água no período de pico e consegue fornecer esse número. O perfurador do poço deve então testar a quantidade de água que o poço fornece, uma informação que é importante considerar para evitar bombeamento excessivo.

A seguir é preciso fazer uma estimativa da pressão ou altura manométrica requeridas. E, aqui, há quatro parâmetros a levar em consideração: A pressão necessária no sistema de abastecimento de água As perdas por atrito no sistema A altura de elevação E, por fim, o rebaixamento da água O rebaixamento da água é a diferença entre o nível estático da água e o nível dinâmico da água, que é a profundidade até à água quando a bomba está a funcionar.

Quanto mais o rebaixamento aumentar durante o funcionamento da bomba, mais pressão será necessária para elevar as águas subterrâneas até à superfície. Vamos ver um exemplo para esclarecer como a pressão é calculada.

Digamos que a pressão necessária para o sistema de abastecimento de água é 3 bar ou 30 metros de altura manométrica, que as perdas por atrito são de 2,5 bar ou 25 metros de altura manométrica, que a altura de elevação é de 50 metros e, por último, que o rebaixamento é de 5 metros.

A pressão total que a bomba deve fornecer é a soma dos quatro elementos, que é de 110 metros ou 11 bar. Se mais bombas tiverem de operar num campo de poços, que é uma área com mais de um poço, também é importante ter em mente que é provável que o rebaixamento da água aumente ainda mais caso as bombas funcionem ao mesmo tempo.

Isso significa que a bomba provavelmente vai precisar de mais pressão para fornecer a capacidade necessária. As consequências do dimensionamento incorreto das bombas são bem percetíveis.

Uma bomba subdimensionada resulta em menor caudal ou pressão, ou seja, a bomba poderá não conseguir fornecer a capacidade necessária por hora ou a altura manométrica necessária. Já uma bomba sobredimensionada reduzirá a eficiência energética e resultará em custos operacionais desnecessariamente elevados.

Por último, vamos analisar mais alguns parâmetros que vale a pena ter em conta antes de selecionar a bomba submersível. As bombas submersíveis estão disponíveis em três graus de aço inoxidável.

O grau a escolher depende do nível de corrosividade de água. Quanto mais agressiva for a água, mais alto deverá ser o grau do aço inoxidável.

O motor é arrefecido pela água do poço. Se a temperatura da água ambiente exceder um determinado limite, é necessário reduzir a potência do motor. A solução mais comum é usar um motor maior com mais reserva de potência.

As variações na fonte de alimentação, como subtensão, sobretensão ou desequilíbrio de fases podem danificar o motor. Através de uma proteção do motor, é possível proteger a instalação eficazmente destas ameaças externas e contar com a tranquilidade de que a bomba funcionará sempre de forma fiável.

Por último, compensa escolher um cabo resistente à água para instalações submersíveis. Se a água se infiltrar num cabo, este será destruído e toda a bomba terá de ser retirada do poço para se instalar um cabo novo.

Dado que esta operação é dispendiosa, é muito melhor atuar preventivamente de modo a evitar erros.

Assim, para garantir o desempenho ideal, uma vida útil longa e custos operacionais atrativos, faça o seguinte:

  • Dimensione a bomba corretamente
  • Escolha um material de bomba adequado para a qualidade da água
  • Proteja a bomba de ameaças externas
  • E escolha cabos resistentes à água