Uma apresentação geral dos circuitos de mistura

Uma apresentação geral dos circuitos de mistura

Obtenha uma perspetiva geral da teoria por trás dos circuitos de mistura e saiba mais sobre os diversos designs e o que os distingue.

Quando se trata de controlar a temperatura do caudal, os circuitos de mistura são fundamentais. Neste módulo vamos fazer uma apresentação geral dos circuitos de mistura, porque estes são usados e como podem ser concebidos.

Vamos também abordar os diversos componentes de um circuito de mistura. Vamos começar. Em primeiro lugar, os sistemas de circuito de mistura destinam-se a ajustar a temperatura do caudal da água. São compostos por um lado primário e um lado secundário.

O caudal no lado primário é controlado pela válvula e o caudal no lado secundário é controlado pela bomba. Simplificando, o princípio básico de um circuito de mistura é misturar a água primária com a água de retorno numa proporção adequada para alcançar a temperatura pretendida do caudal.

Mas porque deve usar um circuito de mistura? Bem, uma das principais razões é o fato de um circuito de mistura conseguir criar zonas de temperatura nos edifícios. Geralmente, os edifícios maiores estão divididos em zonas.

Todas estas têm diferentes necessidades. Então, se um lado do edifício estiver exposto a menos sol do que outro, essa área do edifício pode precisar de mais aquecimento.

Pode igualmente depender do uso típico – um escritório é usado principalmente de segunda a sexta-feira, enquanto uma área de shopping é usada também ao fim de semana. Para controlar a temperatura do caudal de uma zona é necessário um circuito de mistura. Como a instalação de aquecimento de cada zona é composta por radiadores, um aquecimento de piso radiante ou unidades de tratamento do ar, todos estes exigem uma temperatura do caudal diferente.

Além disso, ao utilizar a compensação de temperatura exterior, na qual a temperatura do caudal é regulada em função da temperatura exterior, as suas perdas de calor por transmissão irão geralmente diminuir, aumentando a poupança de energia em até 5 a 10%.

Assim, com a compensação de temperatura exterior, pode obter o maior conforto possível com o menor consumo possível de energia. Existem diversos circuitos de mistura diferentes. Os mais comuns são um circuito de injeção pressurizado com uma válvula de 2 vias e um circuito de mistura não pressurizado com uma válvula de 3 vias.

Vamos analisar em detalhe. Num circuito de injeção pressurizado com uma válvula de 2 vias, a bomba primária irá, geralmente, força água para dentro do circuito de mistura através da válvula do lado primário.

Num circuito de mistura não pressurizado com uma válvula de 3 vias, a bomba encontra-se no lado secundário e, a partir daqui, ela geralmente aspira a água para o circuito de mistura através da válvula quando esta está aberta.

Agora que já abordámos os diferentes circuitos, vamos analisar os componentes de um sistema de circuito de mistura. Primeiro, temos a válvula de controlo. Esta é a válvula que regula o líquido de circulação, controlando a temperatura do caudal.

De seguida, temos a válvula de equilibragem. A equilibragem no lado primário ajuda a prevenir a falta de água entre as zonas, contribuindo para um delta-T ideal entre o abastecimento e o retorno. Depois temos o controlador da pressão diferencial.

Em sistemas com caudal variável, existe uma pressão variável no lado primário. Então, se a pressão aumenta para um nível superior à pressão pretendida, o controlador da pressão diferencial irá garantir que continua a obter o volume de água, para o qual dimensionou o seu circuito de mistura. De seguida temos as válvulas de retenção.

Simplificando, a sua função é prevenir o refluxo indesejado. Por fim, há um controlador e os sensores de temperatura. Ao receber informações da aplicação e dos sensores de temperatura exterior, o controlador pode controlar a temperatura do caudal, por ex., através de uma curva de aquecimento.

Ligar o circuito de mistura a um Sistema de Gestão de Edifícios permite-lhe controlar o seu sistema remotamente. Então, isto conclui a nossa apresentação dos sistemas de circuito de mistura. Vamos recapitular: os circuitos de mistura são essenciais para ajustar a temperatura do caudal do líquido.

Controlando zonas individuais num edifício com um circuito de mistura, irá conseguir garantir um alto nível de conforto, enquanto a compensação da temperatura exterior garante poupanças energéticas.

Existem diversos tipos de aplicação e de circuitos hidráulicos para diferentes circunstâncias.

E, por fim, pode controlar o seu sistema de circuito de mistura local ou remotamente através da sua solução BMS preferida.