Uma introdução às torres de arrefecimento

Uma introdução às torres de arrefecimento

Saiba como uma torre de arrefecimento é concebida para refrigerar grandes volumes de água que circulam num sistema de refrigeração e conheça os diferentes tipos de torres de arrefecimento.

A refrigeração é o elemento central em muitos processos industriais.

E uma das formas de refrigeração ideal são as torres de arrefecimento, que se encontram na maioria das instalações em edifícios industriais.

Neste módulo, fazemos uma introdução detalhada às torres de arrefecimento.

Em termos simples, uma torre de arrefecimento é criada para refrigerar grandes volumes de água que circulam num sistema de refrigeração.

O objetivo é transferir calor da torre para o ar através da evaporação.

Mas como funciona uma torre de arrefecimento na prática?

Vamos analisar mais de perto.

Num sistema de refrigeração com uma torre de arrefecimento, a água quente de fontes como máquinas ou refrigeração de processos flui pelas tubagens até uma torre de arrefecimento.

Ao entrar na torre de arrefecimento, a água é pulverizada por vários bocais.

A água é pulverizada para um material chamado enchimento.

O objetivo do enchimento é distribuir a água por uma superfície mais ampla, proporcionando uma superfície de evaporação maior.

A água escorre pelos lados do enchimento e o ar flui no sentido oposto, e parte da água evapora no ar.

O ar absorve o calor gerado nesta evaporação, baixando a temperatura da água restante.

A água refrigerada restante escorre para um recipiente no fundo da torre, onde volta a ser colocada em circulação no sistema.

O ar, por outro lado, é aspirado para cima pelo ventilador.

Antes de sair da torre de arrefecimento, passa pelos separadores de gotas.

O ar altamente condensado viaja a alta velocidade, embate nos separadores de gotas em ziguezague e sai do ventilador.

A condensação nos separadores de gotas escorre para trás pela torre, juntando-se à água restante no fundo.

Em termos gerais, há menos de 30% de perdas em evaporação, gotas, fugas e descarga num sistema de purga.

Contudo, se for utilizado o controlo certo, é possível poupar 20% desses 30& perdidos na evaporação.

Nesse caso, se, por exemplo, se perderem 100 litros de água por hora na evaporação, o controlo certo vai permitir-lhe poupar 20 litros por hora.

A outra vantagem é a segurança.

As torres de arrefecimento não usam químicos nocivos na refrigeração e, por isso, é muito mais seguro trabalhar com estes sistemas.

Agora que já abordámos os conceitos básicos das torres de arrefecimento, vamos analisar os diferentes tipos mais comuns de torres de arrefecimento.

No ramo industrial, existem dois tipos principais de torres de arrefecimento: de contracorrente de tiragem forçada e de fluxo cruzado de tiragem forçada.

Nas torres de arrefecimento de contracorrente de tiragem forçada, o ar é extraído ao longo da torre por ventiladores e a água desloca-se da parte de cima até ao fundo da torre.

Numa torre de arrefecimento de fluxo cruzado de tiragem forçada, o ar é forçado através do enchimento e depois até ao cimo da torre.

Tal como na tiragem forçada, a água desloca-se de cima para baixo.

Assim terminamos a introdução básica às torres de arrefecimento.

No módulo seguinte, vamos aprofundar o tema e mostrar-lhe como otimizar as torres em termos energéticos.