Porque a água é tão fascinante?

Porque a água é tão fascinante?

A água é uma substância extremamente fascinante e é, provavelmente, a molécula mais importante da Terra. Ouça o Professor Søren Rud Keiding explicar porque é tão importante compreender as propriedades da água.

Sou apaixonado pela água.

A nossa capacidade de mover água líquida, de onde a encontramos para onde precisamos dela tem sido quase uma força propulsora por trás das civilizações. As civilizações foram criadas com base na nossa capacidade de mover e usar a água.

E, a mim, também é isto que me motiva, incluindo como cientista, a compreender as propriedades da água. A água é uma substância simplesmente fascinante: é a molécula mais importante na Terra. Talvez seja até mesmo a molécula mais importante em todo o universo. E é também o que move uma empresa como a Grundfos que vive do movimento da água.

A Grundfos movimenta água. A Grundfos aborda desafios globais. E a capacidade de mover água para onde ela é usada, na agricultura, nas casas, na indústria, nos hospitais, em todo o mundo, é fundamental para nós, para podermos sustentar a vida, nos podermos manter vivos e manter-nos saudáveis. Na verdade, as moléculas de água são muito simples.

A maioria das pessoas conhece a fórmula de uma molécula de água. H2O. Esta fórmula é conhecida em todo o mundo. Apesar de as moléculas de água serem bastante simples, ainda há muito a aprender. Para mim, enquanto químico, o desafio é tentar compreender as principais propriedades da água analisando uma só molécula de água. Parece simples, mas não é tão simples como poderíamos pensar. Eu arriscaria sugerir o estudo da água para alguém ambicioso e que pretenda conquistar um Prémio Nobel em química.

Atualmente, conhecemos cerca de cem milhões de moléculas, mas só uma desses cem milhões de moléculas conhecemos nos seus três estados: a água. Ou seja, o gelo. Conhecemos a água em estado líquido e também na forma de vapor, em estado gasoso. Todo o nosso sistema climático é muito influenciado pela água, que se move do estado sólido, do gelo, para o estado líquido e do estado líquido para a sua forma gasosa, o vapor. As moléculas de água existem como gelo, como líquido ou como gás e é a transição entre estes três estados que realmente impulsiona o mudanças climáticas.

Estas transições envolvem uma enorme quantidade de energia. Se pegarmos no exemplo de uma chuva normal, uns 15 mm de chuva numa área correspondente a uma pequena: se chover, por exemplo, durante uma hora, a quantidade de energia produzida é comparável à quantidade de energia gerada por uma explosão nuclear.

Há muita água na água. Parece uma afirmação estranha, mas o número de moléculas de água num litro de água é enorme. Se substituíssemos cada uma dessas moléculas de água por um grão de areia, precisaríamos de uma caixa de areia com 200 km nesta direção, 200 km nesta direção e 200 km de altura. Essa caixa cheia de areia teria o mesmo número de grãos de areia que o número de moléculas de água que existem num litro de água. O principal segredo por trás das moléculas de água é a ligação de hidrogénio.

Esta não é a propriedade de uma molécula de água, mas sim a propriedade de duas ou mais moléculas de água. Se tivermos uma molécula de água, esta molécula de água procura unir-se a outra molécula de água e é esta união que chamamos de ligação de hidrogénio. E compreender a ligação de hidrogénio é também a chave para compreender a água.