Pesquisa e Insights

Aquecimento por ar

Um sistema de aquecimento num edifício pode basear-se em radiadores, convectores, aquecimento de piso, aquecimento de ar ou numa combinação destes. A utilização do aquecimento do ar é uma forma rápida, mas dispendiosa, de aquecer um edifício.

Nos sistemas de aquecimento do ar, uma superfície de aquecimento na AHU aquece o ar na entrada do sistema de ventilação antes de circular pelo edifício. Caso haja necessidades diferentes de aquecimento em todo o edifício, é possível configurar as zonas de superfície de aquecimento, para que a temperatura de entrada possa ser ajustada para cada zona.

A vantagem do aquecimento do ar é que este reage rapidamente às variações na necessidade. A temperatura de entrada pode ser regulada muito rapidamente para ir de encontro a diferentes requisitos de calor, ao contrário de um sistema de radiadores à base de água e/ou de piso radiante. No entanto, o aquecimento do ar é significativamente mais dispendioso do que os sistemas à base de água, tanto em termos de construção como de funcionamento.

A capacidade térmica específica do ar é de aproximadamente 1000 J/kgK, o que é significativamente inferior à capacidade térmica específica da água (4200 J/kgK). Isto significa que é necessário mover 4,2 vezes mais ar para ter o mesmo efeito de aquecimento de 1 kg de água. Além disso, os dutos de ventilação requerem significativamente mais espaço do que um sistema de radiadores, convectores e piso radiante à base de água.

A Grundfos fornece bombas de circulação para sistemas à base de água, o que compensa o custo mais elevado através da configuração de ventiloconvectores que são aquecidos pelo líquido bombeado. Isto reduz o custo do transporte de ar, mas as emissões de ruído podem ser um problema caso sejam utilizados ventiloconvectores com ventiladores integrados.