Pesquisa e Insights

Corrosão

Pode ocorrer corrosão nas superfícies externa e interna de tubagens, depósitos e radiadores. Na fase de conceção, vários aspetos têm de ser considerados, tais como material da tubagem, isolamento, fluido, humidade e purga do ar, etc.

A corrosão interna pode ocorrer se houver oxigénio na tubagem ou se o caudal for muito rápido nas ligações. Para evitar corrosão, as velocidades do sistema não devem ser demasiado elevadas e é necessário evitar a entrada de ar no sistema, por exemplo, não utilize tubagens nas quais o ar possa difundir. Podem ser adicionadas entradas de ar, se necessário, uma vez que isso irá limitar a quantidade de oxigénio na água.

A corrosão externa ocorre quando uma tubagem de aço é instalada num ambiente húmido ou quando ocorre condensação na superfície de uma tubagem utilizada para transportar um fluido frio. Assim, as superfícies exteriores das tubagens do sistema de refrigeração têm de ser protegidas da corrosão ou serem feitas de materiais não corrosivos, como o plástico. Uma vez que o ar pode difundir-se através do plástico, as tubagens não devem ser utilizadas juntamente com as tubagens de aço.

Pode ocorrer corrosão num depósito ou radiador quando a lama precipita no fundo ou quando o ar se acumula no topo.

Corrosão na fenda é uma forma localizada de ataque de corrosão. Geralmente, a corrosão metálica envolve a degradação de uma superfície metálica exposta. A corrosão ocorre de várias formas, desde ataques uniformes a toda a superfície a ataques locais graves.

A corrosão em fendas começa mais facilmente do que por exemplo na corrosão por fissura, outra forma de corrosão localizada. A corrosão em fendas ocorre em aberturas ou espaços estreitos entre duas superfícies metálicas ou entre superfícies metálicas e não metálicas. Está geralmente associado a condições estagnadas na fenda. Assim, as fendas, como as encontradas nas juntas da flange ou nas ligações roscadas, são frequentemente as mais susceptíveis a ataques de corrosão.

Fadiga de corrosão descreve uma situação em que um metal é exposto a fadiga mecânica e corrosão em simultâneo. A fadiga mecânica pura descreve uma condição em que um material pode falhar em resultado de uma carga cíclica muito abaixo da resistência à tração máxima.

Se o metal for exposto a um ambiente corrosivo e à fadiga mecânica em simultâneo, a falha poderá ocorrer a um nível de tensão ainda mais baixo e após um período de tempo mais curto. Ao contrário do que diz respeito à fadiga mecânica, não existe um limite de fadiga na fadiga assistida pela corrosão.

Corrosão intergranular ocorre nos limites de grão. A corrosão intergranular é também designada por corrosão inter-cristalina. Tal como o nome indica, a corrosão intergranular ocorre nos limites de grão. A corrosão intergranular é também designada por corrosão inter-cristalina.

Normalmente, este tipo de corrosão ocorre quando o carboneto de crómio precipita nos limites do grão durante o processo de soldadura ou quando o tratamento térmico é insuficiente. Uma região estreita à volta dos limites dos grãos pode esgotar o crómio e tornar-se menos resistente à corrosão do que o resto do material. Isto é lamentável, uma vez que o crómio desempenha um papel importante na resistência à corrosão.

Exemplos de metais sujeitos a corrosão intergranular:

  • Aço inoxidável insuficientemente soldado ou tratado termicamente
  • Aço inoxidável EN 1.4401 (AISI 316) em ácido nítrico concentrado

A Grundfos fornece bombas resistentes à corrosão, por exemplo, fabricadas em titânio, para ambientes extremos.