Pesquisa e Insights

Derivação dupla com válvula de 3 vias

Um circuito de mistura de derivação dupla é caracterizado por um caudal constante no lado principal, o que causa elevados custos de energia no bombeamento. Um circuito de mistura de derivação dupla está normalmente equipado com uma válvula de 3 vias.

Os circuitos de mistura de derivação dupla não devem ser utilizados, a não ser que haja uma exigência de temperaturas constantes no lado primário, devido às tubagens de distribuição muito extensas. Manter o controlo das temperaturas também pode ser alcançado de forma mais barata, através do estabelecimento de uma derivação no ponto mais distante das tubagens. Um circuito de mistura de derivação dupla está normalmente equipado com uma válvula de 3 vias.

  • Lado secundário:
    A carga será normalmente uma superfície de calor ou um sistema de radiadores nos quais é necessária uma temperatura variável.
    Devido a uma redução da temperatura do caudal, o caudal no lado secundário será normalmente superior ao do lado primário.
    O caudal pode ser constante ou variável, dependendo do sistema.
    A válvula pode ser colocada na tubagem de alimentação ou na tubagem de retorno.
  • Lado principal:
    O caudal é constante, mas a temperatura diferencial altera-se quando a válvula está a ajustar.

Interacção com bombas com velocidade controlada:

  • Lado secundário:
    Devido ao caudal mais elevado no lado secundário, uma bomba com controlo de velocidade terá autoridade em sistemas secundários.
  • Lado principal:
    Uma bomba com controlo de pressão não reage quando a válvula está a regular, mas é possível utilizar controlo de velocidade na bomba com base na temperatura, na temperatura de retorno constante ou na temperatura diferencial constante.

A Grundfos fornece bombas de circulação para circulação de água quente que requerem um circuito de mistura de derivação dupla com válvula de 3 vias.

Aplicações relacionadas

Localize aplicações da Grundfos relacionadas com este assunto.